Verso clásico Verso libre Prosa poética Relato
Perfil Mis poemas Mis comentarios Mis favoritos
Cerrar sesión

Soneto de Constelação Amorosa:

Soneto de Constelação Amorosa:
(para Marlene)

Permaneceu em mim o teu cheiro
O mar de altivas ondas
A pele descortinada de lua
O sol a calar-me num beijo.

Permaneceu em mim o teu toque
A mão, desesperada, ao caminhar
O peso do teu corpo ardente
O segredo de tuas ramagens.

Permaneceu em mim a tua melodia
A recitar versos na manhã emoldurada
A rimar sentenças amorosas.

Permaneceu em mim tua luz
A findar-se na noite suave
A inebriar as minhas constelações.
leer más   
6
2comentarios 74 lecturas versoclasico karma: 49

Soneto de Vida e Verso:

Soneto de Vida e Verso:

Meus versos: - Drão!
Os amores, tantas luas
As estrelas pelas ruas
Os amores, vem e vão.

Meus versos: - Grão!
Há silêncio nos trombones
Um amor que me consome
Nas sacadas, há paixão.

Meus versos: - Pão!
Me alimenta a tua voz
E o amor que mora em nós.

Meus versos: - Chão!
Vida e verso, simetria
O amor é Poesia.

06/01/2015
(Para a Antologia Poética Vida e Verso, Editora Illuminare - Antologias Brasileiras)
8
2comentarios 123 lecturas versoclasico karma: 61

Soneto a São Sebastião:

Soneto a São Sebastião:

O tempo é o verso do poema
Que fortalece aos olhos alfazema
Na saga do Sol que ilumina
Vem quimera anunciar o novo clima.

O tempo é o contratempo da saudade
Que encanta ao luar esta beldade
Na marca destas ruas em memória
Vem fascínio revelar sua história.

O tempo é o reverso do segredo
Que atribula o sorriso do arvoredo
Na triste melodia caiçara...

O tempo é o passatempo e nos declara
Que vive nestas praias a paixão
Na beleza que dá vida ao coração!

11/11/2001
(Para o Concurso de Poesias Nhô Bento)
1
sin comentarios 32 lecturas versoclasico karma: 6

Syria

Syria:

De morte
Em morte,
Vão explodindo luas,
Versos
E fagulhas de coração.

Saltam, das mãos,
Das mães
Lamúrias eternas,
Que de tão belas,
Trajam-se de sangue e dor,

Matam-nos
E mentem
O eu, descontente,
Guerreia, a todo instante,
Na pausa entre
A fome e o travesseiro.

07/07/2016.
Léa ferro
8
3comentarios 201 lecturas versolibre karma: 49

Estampido:

A fé
Que outrora
A mente esmaga,
Agora
É sedenta
Por desdém.

Minh’alma
É D’outro ser
Meu corpo
É de ninguém.

Por sua fé
Eles mantem:
O corpo encoberto,
A alma destampada,
E a voz...
É (só) um estampido.

Léa Ferro. 27-04-2014.
2
sin comentarios 46 lecturas versolibre karma: 12

Poema em 10 atos:

Poema em 10 atos:

I

Primeiro ato:
Desato o nó.

- E olha, que já não uso gravatas.

II

Estou pensando
Em ser autônomo,
E desfazer sociedade
Com a dor.

III

Terceiro ato
E
Muitos hiatos
Na mesma
Poesia.

IV

A marcha das famílias
E a marcha ré.

Antigamente, nos bons tempos,
As marchinhas eram só as de carnaval.

Ato V:

Meus dedos
Traçando em teu corpo
Tua geografia.

Percorro todos os montes
E me aninho em tua hidrografia.

VI

Poema inacabado,
Angioedema em minhas mãos.
As palavras
Terão de permanecer
Mudas. (por hora)

VII

São tantos
Os que fazem questão de odiar.

Eu só quero te amar.

Todo o tempo
Do meu tempo curto.

VIII

AEH
Em meu DNA.

Em meu sangue:
Paixão, loucura e poesia.

Bossa nova. Vida breve.
Drummond e minha teimosia.

IX

Não me dou por vencido
Facilmente.

Não é qualquer livro
Que me agrada,
Nem qualquer canção.

X

Teus beijos
Nos meus.

Teu amor...
Ateu.
(na eternidade)

Léa Ferro.
21-03-2014.
1
sin comentarios 82 lecturas versolibre karma: 6

Os derrotados da Catedral

Os derrotados da catedral:

Caminham em silêncio
Lado a lado
Em profundo luto
Aterrorizados
Com a destreza da morte
E com a ousadia
Em nos cravar
O medo e a dor.

Entranham
Em nossa pele
Odor e lágrima
Como tatuagem
Etérea.

Enlameiam-nos
Os olhos
Para que a cegueira
Transgrida
O amor que nos resta.

21/02/2016.
LF
3
1comentarios 112 lecturas versolibre karma: 31

Anatomia:

Anatomia:


Há,
Esconsos umbrais
Em meu peito.

Sufocam-se
E disputam espaço
Com o coração,
Pulmão
E as frágeis costelas.

Riscam mapas
Nas estradas da respiração.

Há muito
O amor povoou
Esta geografia humana.



Léa Ferro
3
1comentarios 87 lecturas versolibre karma: 31

TransMulher

TransMulher:

Cada átomo
De sua existência
Indelével
Faz composição amorosa
Com o verso feminino.

É mais que uma
Perfeita obra de arte.

É a essência
Irrefutável
Que transgride a poesia
De ser mulher.

Léa Ferro


Mujer trans:

Cada átomo
De su existencia
Indeleble
Hace canción de amor
Con lo verso femenino.

Es mucho más que una
Obra de arte perfecta.

Es la esencia
Irrefutable
Que transgrede la poesía
De ser mujer.
3
sin comentarios 113 lecturas versolibre karma: 18

Ensaio:

Ensaiei tantos poemas,
Uns falavam d'amor
Outros deste tormento,
Que é desejar-te
Em noite sem lua.

Léa Ferro


"Ensayé tantos poemas,
Algunos hablaban de amor
Otros de este tormento
Que es desearte
En la noche sin luna."
3
5comentarios 86 lecturas versolibre karma: 23